Em nota, CTB-AL repudia violência policial exercida contra trabalhadora

O caso aconteceu na cidade de Marechal Deodoro envolvendo ameaças de um Policial Militar contra uma enfermeira em exercício da sua profissão numa Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Leia a nota:

A CTB, baseada no princípio da defesa do trabalhador brasileiro, vem tornar público o seu REPÚDIO à violência praticada por um Policial Militar contra uma enfermeira em exercício na UPA Irmã Dulce, em Marechal Deodoro.

Na última segunda-feira (23), o PM apontou uma arma de fogo e ameaçou a enfermeira plantonista, exigindo atendimento em uma especialidade que não estava disponível naquela unidade.

Entendemos que houve uso indevido do aparato público em benefício próprio com intuito de coação no ato de o PM solicitar uma guarnição que levou a enfermeira para a CISP e a encaminhou direto para uma cela sem direito a advogado.

Ao lado do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Alagoas (Sineal), que representa a trabalhadora, a CTB exige esclarecimentos, ao tempo em que acompanha o caso.

REPUDIAMOS qualquer violência contra os trabalhadores, seja ela física, moral, verbal ou psicológica.

EXIGIMOS respeito aos trabalhadores, a garantia e a proteção de todos os direitos.

CTB-AL, Maceió, 26 de maio de 2022

Diga-nos O que você pensa
0Like0Love0Haha0Wow0Sad0Angry

0 Comentário

Deixe um comentário